Facções criminosas pagam suborno de até R$ 10.000 por entrada de armas em presídios de Goiás

Postado com autorização do site UOL

Flávio Costa e Luís Adorno – Chefes de facções criminosas nos presídios de Goiás pagam propinas que variam de R$ 5 mil a R$ 10 mil para agentes penitenciários permitirem a entrada de armas nas unidades do Estado. Funcionários do sistema prisional e policiais civis confirmaram ao UOL os preços praticados para a entrada de pistolas e revólveres. As prisões goianas são caracterizadas pela superlotação carcerária e a precariedade da



estrutura física, onde trabalham um grande contingente de funcionários temporários com baixa formação técnica. Um agente temporário recebe, em média, um salário de R$ 1.450,00. Sete armas foram encontradas no complexo prisional de Aparecida de Goiânia pelas varreduras realizadas, após três rebeliões que resultaram em nove mortes, 14 feridos e na fuga de 99 presos. Uma das armas encontradas era uma pistola da marca Glock, calibre 380,

CONTINUE LENDO

Veja também:

32-ARTIGO – Pena de morte no Brasil

Seja o primeiro a comentar on "Facções criminosas pagam suborno de até R$ 10.000 por entrada de armas em presídios de Goiás"

Deixe um comentário

Seu e-mail não será mostrado. ** Campos obrigatórios